quarta-feira, 19 de maio de 2010

ACUDA, UMA ARANHA!

Já tarde da noite, conversava com uma amiga ao telefone. Noite tranquila, filhos brincando da sala, outros dormindo no meu quarto, dois no quintal vigiando a lua pra ver se ela não caía.

Papo vai, papo vem, eu olho pro teto. Uma aranha.

Sim, mães. Aranha. Enorme. Armadeira. Nojenta. E aí veio o pensamento: MEUS FILHOS!

Pedi licença à minha amiga, larguei o fone na poltrona e fiquei feito louca, catando todo mundo, aos berros, só abaixando a voz quando passava perto da oito patas - qual o sentido disso, me digam vocês.

Fiquei com três em cada braço, sendo um deles o chumbinho que é o João e a encrenqueira da Fuzzy Maria, que óbvio, ficou no mesmo braço do Wood, que é outro barraqueiro mala sem alça. Dei o berro clássico - Olha a Havaiana! e foi silêncio e sossego total. Corri pelo corredor, taquei todo mundo no quarto e respirei aliviada .... pra ver que Golda Meir, sabe-se porque arte do capiroto, estava bem sentadinha.. EMBAIXO DA DITA CUJA.

Fui pé ante pé, suando frio. Golda dá um passo pra trás. Eu olho pra ela: -Filha, vem aqui... Ela mais outro passo, mas ainda na linha do aracnídeo asqueroso (e venenoso). -Golda Meir, eu estou falando pra você vir... (mãe, seja de que espécie for, quando chama pelo nome todo, nunca é coisa que preste e todo filho sabe). Golda dá um pinote e sai correndo na direção do banheiro. Suspirei fundo. E minha amiga na linha. E era interurbano.

Fui correndo pegar o inseticida. Sim, porque aquela coisa não ia ficar na mesma casa que eu e meus filhos. E toma-lhe DDT. A bicha dá um salto Daiane dos Santos e eu um Nádia Comaneci, uma pra cada lado. Imediatamente a coisa sai correndo e eu vou atrás, de chinelo na mão. As cenas agora serão censuradas, pela violência empregada - afinal, este é um blog familiar. A aranha abotoou o paletó, virou ziôto, presunto e é isso que interessa.

Voltei pro telefone. Chamei minha amiga e pedi desculpas., mas ela mal ouvia: ria que se escangalhava. Eu estava aliviada e comecei a rir também. O punk mesmo foi dormir com a galera toda no quarto, já que ninguém quis mais sair.

Errei. Punk mesmo foi quando veio a conta do telefone. O telefone da minha amiga é Vivo Fixo, que quando cobra na Oi cobra como... CELULAR!

Vida de mãe é fogo!

*trad da imagem: eu não sofro de insanidade. Eu curto cada minuto dela!

4 comentários:

Amor e Miados disse...

hahahahahhahaha!!! entendo sua aflição :D
aqui em casa de vez em quando recebemos visitantes mais do que inusitados. arthur já matou uma tarantula, quase comeu um passarinho que entrou por engano e essa semana, DO NADA, arrumou uma LACRAIA que foi retirada das patinhas dele pela vovó zelosa ( minha mae )
isso pq moramos no segundo andar de um prédio O_o
ainda bem que seus filhos estão sãos e salvos :)
bjs!

Ms. Anabela disse...

Arthur, se coleguinha de creche de Thomas fosse, poriam os dois fogo no predio... HAHAHAHAHAH!
Beijos e te linkei aqui!

ReCriando disse...

Ahahahaha! Genial! Aqui também tenho alguns probleminhas com os "visitantes". Em alguns dias, encontro pedaços deles pelo quintal... a Insetisan vem aqui na semana que vem!

Ms. Anabela disse...

, depois nos conta como foi com a Insetisan? Uma mãe me escreveu pedindo dica e eu só tinha conhecimento da dedetização em gel.
Beijos