segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Justificativa.

Já teve mãe escrevendo, falando que o blog tá devagar. Mas tá mesmo. Não é só por causa do meu trabalho, da Andrea estar ocupada. Né só isso não.

É que Agosto pra gente é mesmo mês do desgosto. Vai fazer um ano. É o ano do primeiro Rosh Hashaná, o primeiro Natal, o primeiro aniversário que nos diz que acabou, que não vai se comemorar mais. O pratinho guardado, o paninho que não sai do armário, tudo numa bolsinha, pra gente não esquecer, pra não ter que lembrar. O tufinho de pêlo guardado junto com o santinho que minha avó deixou. A roupa sem filho dentro. Os ossos que o ex-pai (quem disse que isso não existe?)  prometeu ir exumar e buscar e nunca foi e eu não consigo ir porque acho que morro, mas tenho que ir, tenho que ir e vou, por que vai fazer um ano. O abandono, o relembrar sofrido. O perdão que não me dou e tenho que me dar.

É reviver cada dia até aquela manhã do 31 de Agosto, quando o médico me ligou na escola pedindo alguém da família e o que minha filha ganhou foi um não vou acordar ninguém por causa de bicho, de uma criatura asquerosa que eu quero mesmo que receba tudo de volta em dobro, com juros! Eu correndo pelo meio da rua, chorando e desorientada, porque sabia que não ia dar tempo. Os dias anteriores, vendo a vida dela me escorrer pelas mãos. Vida que hoje sei que podia ter sido poupada, com médicos melhores e com gente que tivesse um pingo de caridade dentro de si. Eu olho o calendário e fico pensando, hoje é dia 16, foi o dia que eu comecei a tentar isso, mas aí eu só tive mais quinze dias... Pra uma mãe , 15 dias não são nada, mas o que eu não daria por mais um, por uma chance, por qualquer coisa.

Até pra voltar a sonhar com ela. Não tenho coragem mais de ver as fotos, nem de procurar os videos. Mas tenho que, por que vai fazer um ano.

Desculpem a nossa ausência. Estamos fazendo o que dá. Mas Agosto, mês de desgosto. E nesse Agosto de agonia, revivendo, é o primeiro ano.

Obrigada a todas vocês!

6 comentários:

Lia disse...

Compartilho da dor...
Agosto também foi um mês de desgosto pra mim. Por teimosia do marido, não tive tempo de salvar meu filho...

Ms. Anabela disse...

Olha, Lia, não tou maldizendo - não no teu caso - mas essas coisas têm paga. Tomara que seu marido tenha se arrependido,porque de se arrepender a gente aprende e se redime de verdade. Ruim mesmo é quem ainda acha que agiu bem, ainda que mais torta que bêbado em calçada.

Aceite um abraço muito apertado, meu, da Andrea e da família dela e dos nossos filhos todos.

Isabela disse...

Meninas,
uma dor tão imensa que só mesmo outra mãe para entender... Sempre me emociono com os seus relatos!! Tudo poderia ter sido tão diferente para a Mel, para a Bolinha, pro meu Horácio... Que dádiva seria tê-los ainda conosco, não é mesmo???
No próximo sábado faz 2 meses que perdi meu filhinho. Na véspera de sua partida, eu fiquei horas sentada, olhando fixamente para ele, na tentativa de guardar cada pelinho, cada detalhe do seu rostinho, o olhar, tudo.... Eu me lembro da minha mãe chorando, ensinando ao meu amigo o carinho que ele teria que fazer na cabecinha dele quando chegasse a hora da injeção que iria poupá-lo do sofrimento já insuportável.
E não consigo superar isto. É um buraco no coração...
Não tem palavras de consolo...

Só nos resta saber que foram e permanecem sendo muito amados, nossos anjinhos inesquecíveis!!!

beijos,
Isabela

Amor e Miados disse...

a perda de uma criança é algo que não passa, apenas se torna menor e de, alguma forma, menos dolorosa, até que se transforme em memórias felizes.

onde existe amor não existe fim, pois o amor transforma eternidade.

abraços fortes de uma mãe que também já perdeu vários filhos.

ReCriando disse...

Segue um forte abraço e lambidas e ronronadas dos meus pequenos daqui... Beijo grande.

Mima disse...

eu(mae) e meu bolinha(felino) mandamos um abraço muito apertado e muita luz nesse período difícil.
sei como é dolorido olhar os pêlos pela casa desaparecendo porque a razao já nao esta mais aqui.
nao esqueça que o amor nao conhece barreiras nem limites ;)

muitas lambidas e ronrons ;*