quinta-feira, 24 de março de 2011

Sempre tem Alguém pra Falar..

... que a gente devia adotar uma criança e parar de tratar bicho como filho. 

Eu não mando praquele lugar não por educação, mas porque acho sacanagem com aquele lugar.  O que tem uma coisa com a outra? O que imagino é que quem me diz isso não paga escola pros filhos (os nossos não precisam), não pagam cursos nem passam o dia com eles (porque criança humana precisa e muito dos pais por perto, os nossos são mais independentes e mesmo quando bebês a fase dura muito menos). Deve ser o tipo de gente que compra três blusas pro filho e pronto porque dá, ou deixa o filho andar pelado. Que raio de comparação maluca!

Uma amiga muito querida postou isso aqui no Facebook dela. Ela não tem gatos, jamais teria qualquer ser vivo fora ser humano em casa. É o modo dela viver e eu respeito, como ela sempre respeitou e até apóia o meu. Eu li e comentei a matéria, me perdoem as abreviações. Segue aqui o que escrevi.

Eu só queria saber quantos filhos ela tem e com quantos já saiu ao shopping lotado, ou numa praça, pra saber se ela tem idéia da velocidade que eles soltam a mão dos pais e ganham a rua. 

Na Alemanha o pessoal tb usa isso (é um casaco lá) e ...é mesmo pra evitar acidente, quando as pessoas vão pra locais com mais movimento. Na Austria não se usa, mas o sistema pra educar que os pais usam....bem, acho que criança lá não é besta de largar a mão, nem o carro é besta de passar por cima. :-P 

Em tempo: vc sabe que não tenho filhos, mas sabe tb que sou professora há 21 anos e professora infantil há outros tantos. Achei a matéria injusta com os pais, já tive aluno atropelado, sequestrado, perdido por pais ou mães solteiras zelosos, que deram uma piscada de olho e foi o que precisou pra meses em coma, deficiência, morte.

Sobre os cães, nunca vi berço, mas se a pessoa preferiu cuidar de um animal (mesmo humanizando-o) à uma criança, pode ser que ela tenha bons motivos. Eu tenho meus gatos que pra mim são como filhos. 

 Nunca quis filhos humanos pq acho que eu ia ser péssima mãe, pq trabalho das sete da manhã às nove da noite como professora e simplesmente ia deixá-lo abandonado. Sei que a maioria hj em dia faz isso, pra poder comprar mais coisas, mas eu não teria coragem. Só que no meu caso, como pros brasileiros professor é lixo, seria pra alimentar a criança e a mim e dar condições mínimas: bom local de moradia, boa escola, cursos, esportes, bom ambiente, estímulo intelectual. 

Nem todo mundo pode ter um genitor em tempo integral e eu sou esse caso. Note-se que não mencionei um pai. Talvez se um de nós pudesse ficar em casa o dia todo, aí sim. Mas dar pra outra pessoa criar, jamais. E se eu tivesse filho com uma pessoa, manteria a estrutura familiar a todo custo. Só violência doméstica justifica terminar um casamento com filhos, pelo menos pra mim. Deixaria tudo mais de lado pra poder dar boa escola, levar aos cursos, pagar por eles, fazer companhia. Não sairia mais com meus amigos porque os finais de semana seriam do meu filho ou filha, pra saírmos, irmos ao teatro, ao parque, receber os amigos dele/dela em casa. Não é pra sair com criança e ela ouvir lero de adulto. Eu não tenho como viver assim, então não vou pôr alguém no mundo se não for pra ser assim.

Por isso, dou amor aos meus gatos, que podem ficar sem mim enquanto trabalho e sou voluntária em abrigos pra animais e tb em asilos de idosos. Não faço mais trabalho em orfanato nem em creche, não sou chegada em criança hoje em dia, qq coisa que vc faça já acham que é abuso sexual, que é assédio, que é violência, então nem chego perto. Gosto de ajudar os velhos, cuidar de plantas e amo mesmo meus filhos felinos, além dos meus amigos, meus pais e a natureza. Triste mesmo é uma vida sem amor a nada vivo.

7 comentários:

Barbie disse...

achei maravilhoso seu texto. Sou mãe de 7 felinos e já ouvi inúmeras vezes a mesma frase que você. Como posso discutir com uma pessoa que não sabe a diferença entre um gato e uma criança?? Você explicou direitinho no texto as diferenças básicas!!
abraços

Ms. Anabela disse...

Pois! E tem mais: criança cresce. E às vezes, por melhores que as mães sejam, eles viram motivo de desgosto. Fora que filho é despesa pro resto da vida,embora já tenha ouvido de uma amiga que não vai ficar gastando com filho e que depois dos 18 ele que se vire. Eu não penso assim. Outra largou o pai das crianças, desestruturou a vida dos bichinhos toda pq se apaixonou por outra pessoa. Gente, no meu entender, isso não é ser mãe de gente. Aliás, se são egoístas assim, acho que nem de felinos!!

Helane disse...

Muito bom seu texto! Não nego que antes, beeeem antes de adotar minha filhota eu cheguei a criticar algumas pessoas que conheço, sei que uns exageram (é verdade) e não é por zelo mas por futilidade em excesso.

Mas hoje... hoje sou eu a criticada! Escuto muito: "Nossa, mas você trata sua GATA como FILHO, é apenas um gato.", ou "Ah! Mas por que ao invés de criar gato você não tem logo um flho?!". E agora nesse momento que estou me mudando o que mais ouço é: "Mas você vai gastar ISSO TUDO com tela de proteção?! Ela não vai pular!"... Olhe, me dá vontade de pedir os números do próximo sorteio da megasena pra esta pessoa que gosta de prever o futuro! E minha resposta: "minha prioridade é o bem estar da Sarabi."

Respeito a opinião (tento, na verdade) daqueles que me dizem esse tanto de asneira pois sei que só falam isso por que ainda não descobriram o AMOR que existem entre nós e nossos pequeninos.

E como diria Anatole France: "Até que se ame um animal, uma parte da alma permanece adormecida."

Bjos meus e ron rons de Sarinha,

Helane.

Ms. Anabela disse...

Helane, vc é uma moça educada. Hj em dia eu mando mesmo à merda e com mta pena da merda, tadinha...

Mas vc tb pode imprimir esse post http://maesdefelinos.blogspot.com/2009/11/e-apenas-um-gato.html e ver se as almas sebosas entendem.

Beijos

Gloria disse...

Quando me fazem esse tipo de pergunta, eu respondo: "E você, quantas crianças já adotou? Quantas vc já ajudou dando comida, remédios, dando banho, tirando piolhos, vestindo e encaminhando para adoção? Hein? Qtos?". Nenhum até hoje me disse. Quem faz esse tipo de pergunta, também não ajuda pois acha que isso é problema do governo ou que não tem condições($) para tal.Se tivesse, se pudesse, se...
Pari um filho e esse filho tem 26 "irmãos" e não trocaria isso por nada no mundo. Bjs

Mara disse...

Bem... sou mãe apaixonada de uma carinhosa gatinha vira-lata e também sou mãe adotiva de uma menina, e olha que o carinho do animal é beeeeeeem maior.

Ms. Anabela disse...

Pois é.... o ser humano geralmente tem um amor interesseiro, até as crianças. O que eu vejo de neném fazendo pai e mãe de idiota, manipulando mesmo! Já li vários trabalhos que falam sobre isso. Os pais viram escravos e nem se dão conta...